31 de agosto de 2012

Viagens: Antibes parte 1

Quando ouvimos alguém dizer em "Riviera Francesa" logo pensamos em praias, baladas e, é claro, muito sol. Mas como é a vida na Côte d'Azur durante o inverno onde não existem tantos turistas e nada de praia, baladas cheias de turistas e muito sol? Antibes é provavelmente a cidade mais maravilhosa para se viver no inverno europeu. Morei em Antibes por um bom tempo e creio que apenas um post não seja o suficiente para dizer tudo que podemos encontrar por la. A cidade foi construida no século V a.C. pelos gregos e inicialmente chamada de Antipolis (que significa cidade do outro lado do mar), mas seu crescimento é marcado pela era medieval, o quê pode facilmente ser percebido pela presença de muralhas para cercar a cidade.
Localizada perto da fronteira com a Italia e menos de uma hora de Mônaco e dos Alpes Maritimos (podemos esquiar e ir à praia no mesmo dia durante a primavera, não é perfeito?), fica ao lado de Cannes e Nice e a 100km de Saint Tropez. Para não passar fome em Antibes (o que é dificil visto que em todos os lugares existem padarias maravilhosas e docerias malditas) eu recomendo o restaurante Duplex localizado na Place de Gaule (praça principal da cidade) com opções deliciosas de peixes e carnes e bons preços (recomendo a escolha de formulas de prato+sobremesa ou prato+entrada). Outra boa pedida é se aventurar pelas ruelas da parte medieval da cidade e procurar pequenos restaurantes construidos em porões de casarões medievais.
Recomendo sentar-se em algum desses cafés da rua e comer um Crèpe au Nutella.
Uma vez por ano existe a feira "Pain, Amour et Chocolat" que vende comidinhas gordas (doces, pães, e é claro, variados tipos de chocolate e coisas feitas com chocolate), além de vinhos, queijos e afins. Acontece em meados de fevereiro no porto de Antibes.
Em breve recomendações sobre a noite na cidade.

12 de agosto de 2012

Viagens: Mônaco

Das muitas vezes em que estive em Mônaco eu juro não ter visto muito o quê admirar a não ser a riqueza e a limpeza do lugar. Quando saimos da estação de trem nos sentimos em um lugar futurista. Os banheiros publicos cheiram a Chanel, tem descarga automatica, agua quente na pia e vento quente para secar as mãos. As passarelas subterâneas são de espelhos ou de pedras finas e tudo é extremamnte limpo e bem cuidado. Um café fica em torno de 2 euros, o quê não é muito diferente da França, mas descobri um bar onde o Happy Hour funciona com a promoção de drinks pela metade do preço. De 12 euros saem por 6 (na França no geral, os drinks são em torno de 15 euros) e fica na 7 Avenue d'Ostende, pertinho do porto. Na foto, eu e meu amigo Joey quando fui mostrar a cidade pra ele.
A noite é repleta de bares e boates localizadas no porto, sempre cheias durante o verão, porém não achei que a noite em Mônaco seja das melhores. Depois de rodarmos por todas as baladas e bares da cidade, eu sendo parada umas 354564654165 vezes por aparentar ser menor de idade, acabamos indo para a famosa Jimmys, conhecida pela exclusividade dos frequentadores, porém também não achei que era a melhor balada que ja fui e vi muita tia mal vestida que merecia uns bons socos na cara! Outra possibilidade é gastar uma fortuna no Cassino, uma prédio maravilhoso, luxuoso e bem frequentado. A entrada custa 10 euros e o valor minimo de jogo no poker fica em torno de 150, se não me engano. Se tem vontade de conhecer, eu digo que conheça, porém existem cidades mais legais em torno (como Eze e Saint Paul de Vence, por exemplo). Para finalizar, uma foto da minha primeira visita à cidade em janeiro de 2011 em frente ao Cassino.