31 de março de 2012

Historia: Boinas

O primeiro chapéu efetivamente usado foi o "PÉTASO" por volta do ano 2.000 a.C.. Tratava-se de um chapéu dotado de copa baixa e abas largas que os gregos faziam uso em suas viagens como uma forma de proteção. Era um tipo prático, ajustável, podendo ser retirado com facilidade, tendo perdurado na Europa por toda a Idade Média (de 476 a 1453).

(Pétaso)

Na Antiga Roma (por volta do ano 1.000 a.C.), os escravos eram proibidos de usar chapéus. Quando eram libertados passavam a adotar uma espécie de chapéu semelhante ao barrete (boné em forma de cone, com a ponta caída para um lado), em sinal de liberdade. Este tipo foi revivido durante a Revolução Francesa (final do século XVIII), chamado de "bonnet rouge" e se tornou um símbolo do partido republicano durante a República. Outro tipo bastante parecido com o barrete foi o capuz, unido ou não a um manto, amplamente usado na Idade Média.

(Bonnet Rouge)

Boina é um subtipo do boné, geralmente feito de lã e sem aba, e que surgiu em razão de os combatentes de blindados não se sentirem bem com uso de gorros ao efetuarem a manutenção das máquinas.
Além do uso militar, a boina, está também associada aos pintores e é um complemento do traje típico dos escoceses. No Rio Grande do Sul, a boina muitas vezes substitui o chapéu do gaúcho.
É também um acessório de moda largamente utilizado pelas mulheres. Ela adapta-se à volta da cabeça, muitas vezes é puxada para um dos lados, e a sua coroa mole pode ser formatada de uma série de maneiras.
As boinas eram originalmente usadas pelos camponeses do País Basco. Hoje em dia são geralmente feitas de feltro ou de fibras acrílicas.


Sempre utilizado pelas fashionistas, é simbolo ligado a arte, riqueza e estilo (também meu acessorio preferido). Com o tempo, as boinas ganharam abas e foram se adaptando quanto a material e cores. Acham ou não que as boinas vieram e para nunca mais partir?

Nenhum comentário:

Postar um comentário